sábado, 27 de junho de 2009

GENEALOGIA - FAMÍLIA VALE

O JORNAL DE HOJE

A ilustre genealogia dos Vale

Artigo,

Valério Mesquita (Escritor)

As genealogias das famílias tradicionais do Rio Grande do Norte estão na ordem do dia, basta ver o enorme sucesso que fez ano passado o livro "Genealogia”: dos troncos familiares de Goianinha/RN", de Ormuz Barbalho Simonetti, abordando as origens de sete famílias potiguares. Chegou agora a vez da família Vale, com seu brasão de três punhais sobre fundo vermelho, cuja ascendência mais remota se situa no solo de Portugal. Com a chegada a Natal, RN, nos albores do século XIX, do casal João Maria Valle e Maria Joaquina de Aguiar, a família Valle deita raízes em definitivo na terra potiguar.
Quem conta a história é o pesquisador José Hélio de Medeiros, neste "Breve Genealogia da Família Vale", fruto de longas e demoradas entrevistas com familiares próximos e distantes, reforçadas pela pesquisa de documentos muitos dos quais jaziam relegados em gavetas e pastas de móveis pouco utilizados de casas de parentes há muito distanciados, ou esquecidos em estantes empoeiradas de cartórios e batistérios de lugarejos muitas vezes inexistentes sob suas denominações originais.
O livro mostra o quanto foi importante a chegada do casal Vale ao nosso estado, pois sendo o sr. João Valle agrimensor por profissão, não tardou a adentrar o interior potiguar, instalando-se em Caicó, cidade da qual foi também o primeiro tabelião, graças ao fato de ter conhecimentos de gramática e aritmética. A prolífica descendência do casal, traduzida em seis homens e quatro mulheres, fixou-se firmemente na região, multiplicando-se bíblica e produtivamente. A partir de seu entroncamento em Caicó, a família Vale expandiu seus laços na região oeste, mediante relações matrimoniais com os Xavier, os Oliveira, os Medeiros, os Patriota, os Costa, os Dantas e outras tradicionais famílias do RN.
Desses laços, se originaram homens e mulheres ilustres que vêm contribuindo há dois séculos para o engrandecimento do nosso Estado. Foram e prosseguem sendo comerciantes, fazendeiros, militares, profissionais liberais, políticos etc., que vêm dando o melhor de si em cada uma das profissões que abraçam.Vale ressaltar o trabalho minucioso e persistente executado por José Hélio em busca de suas origens. A propósito, quem não tem o desejo de conhecer melhor suas raízes familiares, ou não se sente mais rico existencialmente ao tomar conhecimento de um parente até então desconhecido? Informações dessa ordem parece que redimensionam nosso espaço pessoal no mundo, delimitando com mais precisão o papel que nos cabe enquanto membros de um clã socialmente reconhecido.
Foi assim na antiguidade e assim continua hoje, mostrando a regularidade das aspirações humanas, especialmente quando as relações de família estão em evidência.Encerrada uma vida laboral bem-sucedida no comércio natalense, José Hélio dá um exemplo de desprendimento e desvelo filial ao se debruçar sobre as raízes de sua família, devolvendo à apreciação dos seus contemporâneos a contribuição que seus antepassados deram para que o presente no qual vivemos seja o nosso presente: aquele no qual nos reconhecemos como parte de uma família e de uma sociedade irmanados por um ideal comum.
Esta Genealogia dos Vale é, por isso mesmo, parte da nossa própria história, na medida em que identificamos, aqui e ali, um nome familiar, uma referência próxima ou longínqua, um eco que nos traz de volta, à sua simples menção, uma passagem até então esquecida da nossa vida. Por essas razões é que recomendo a leitura deste livro de José Hélio de Medeiros lançado dia dezessete de junho com pleno sucesso em Natal.
Postar um comentário